Ana Beatriz Magno, Kelvin Melo e André Hippertt

 

WEBABRETWITTEROS NÚMEROS DISPENSAM ADJETIVOS. Em nove meses, de 24 de abril de 2019 a 24 de janeiro de 2020, o ministro da Educação postou 3.149 tuítes. Em média, foram mais de 11 tuítes por dia, incluindo postagens de texto, de vídeo, retuitagens e comentários. Para analisar o material, a equipe do Jornal da AdUFRJ selecionou 255 posts, a partir de palavras-chave presentes na rede social de Abraham Weintraub e de temas relacionados com o cotidiano da universidade. O resultado é revelador de um homem público que usa a internet como trincheira de trabalho ideológico e faz do deboche e da agressão suas ferramentas narrativas. Dos 255 tuítes analisados, 85 carregam as palavras PT, Lula, comunista, esquerda, comunistinha... Há mais citações à oposição política do que à ciência e à pesquisa. A palavra cientista não aparece uma única vez. Já as menções ao chefe Bolsonaro e a seus herdeiros são frequentes. Mais de 80 vezes. Nas próximas páginas, publicamos parte dessas postagens, com links, análise e uma certeza: o ministro pratica sem pudor a guerra ideológica que tanto critica em suas postagens. 80% delas ocorrem em dias úteis, quando o titular da Educação deveria estar se dedicando às complexas tarefas da pasta.

Confira no link o levantamento exclusivo da AdUFRJ:
https://adobe.ly/39fiXa7

Topo