Redação Adufrj

comunica@adufrj.org.br

Elisa Monteiro e Silvana Sá

A UFRJ voltará às aulas em plena campanha para reitor, com uma maratona de reuniões e plenárias das chapas. Para ajudar a comunidade acadêmica a escolher o novo reitor ou reitora, o Boletim da Adufrj  publicará entrevistas com os candidatos sobre  temas relevantes para a UFRJ.

A ordem das respostas segue a da inscrição na Comissão Coordenadora da Pesquisa. Primeiro, a Chapa 20: #Minerva_2.0, dos professores Roberto Bartholo (Coppe) e Felippe Cury (Instituto de Economia). Em seguida, a Chapa 10: A UFRJ vai ser diferente, dos professores Denise Pires de Carvalho (Instituto de Biofísica) e Carlos Frederico Leão Rocha (Instituto de Economia). E, finalmente, a Chapa 40: Unidade e diversidade pela universidade pública e gratuita, dos professores Oscar Rosa Mattos (Coppe) e Maria Fernanda Quintela (Instituto de Biologia), apoiada pela  reitoria.

Na largada da campanha, os candidatos comentaram a impossibilidade de construção de uma chapa única depois dos debates da Frente Democrática pela UFRJ, lançada em dezembro. Para a professora Denise, “faltou tempo”. “O processo implicava apresentação de nomes, discussão. Estivemos reunidos até o último dia da inscrição de chapas, mas a chapa apresentada pela atual gestão foi de continuidade, não de composição com a oposição. Não pode haver unidade se a chapa é de continuidade. Somos oposição”. A docente, no entanto, avalia como positivo trabalho da Frente.

Oscar e Maria Fernanda rejeitam o rótulo de continuísmo, mas reivindicam o que consideram acertos da gestão atual. Em relação à Frente, fazem um balanço positivo. “Garantiu princípios e um programa básico para uma universidade pública, gratuita e de excelência num momento difícil”, diz Maria Fernanda.

Bartholo defende a universidade como “um universo diverso” e justifica a ausência na Frente. “Não consigo entender que possa ser melhor para a universidade só ter uma chapa concorrendo”, diz. Bartholo negou a intenção de impugnar o processo eleitoral via Ministério Público: “Não sei da cabeça de quem saiu isso. Posso dizer é que não foi da minha”. “A partir do momento em que conheci as regras do jogo,  aceitei jogar”.

A Adufrj não manifestará preferência por chapas. Espera contribuir para qualificar o processo eleitoral oferecendo informações qualificadas e estimulando o pensamento crítico.

 

Veja também: Conheça as propostas para segurança, orçamento e gestão