Foto: pixabay

Kelvin Melo

kelvin@adufrj.org.br

No fim da tarde de hoje (05), o MEC liberou 5% do orçamento de custeio da UFRJ. O percentual representa aproximadamente R$ 16 milhões. A administração da universidade avalia amanhã quais contas irá pagar com os recursos. Há dívidas acumuladas com as concessionárias de energia e de água, além de empresas prestadoras de serviço. Apenas uma fatura da Light, que não recebe há seis meses, custa R$ 4,5 milhões.

Na avaliação da Pró-reitoria de Planejamento e Finanças, o valor liberado foi bem aquém do esperado. Pior:  a dinâmica de baixos repasses do ministério sinaliza que não haverá desbloqueio dos R$ 114 milhões de orçamento discricionário da universidade. O dinheiro foi contingenciado pelo governo em maio.

Em nota divulgada no site da UFRJ antes da liberação dos 5% do orçamento de custeio, a pró-reitoria já havia dito que: “mantido esse padrão de liberação pelo MEC, a Universidade está sob o risco de ter vários serviços paralisados ao longo do mês de agosto e, certamente, no mês de setembro”. Em outro trecho: “Caso o cenário não mude, um plano de contingência será adotado nos próximos dias, com a redução drástica dos serviços oferecidos”.