Foto: Isabella de Oliveira

Redação Adufrj

adufrj@gmail.com

(Última atualização em: 13/03/2018)

No comando da Escola de Comunicação (ECO) da UFRJ pelos próximos quatro anos, as professoras Ivana Bentes e Suzy Santos já querem agir: uma das primeiras medidas será a criação de uma carta com todos os serviços da escola para a comunidade acadêmica. O documento terá esclarecimentos para os estudantes, mostrando qual o trâmite para obter o diploma, por exemplo, até os cursos de extensão oferecidos pela escola. “Temos de mostrar que não só a nossa produção acadêmica é de altíssima qualidade, mas os nossos serviços também”, disse Ivana. As docentes tomaram posse ontem (12), no salão Oduvaldo Vianna Filho, na Praia Vermelha.

Ivana comemorou a grande participação de mulheres em sua gestão, a mais feminina na história da ECO. “Acho muito importante que as mulheres estejam nos espaços de poder e decisão. São questões de acolhimento, de uma gestão mais afetiva”, avaliou. Esta não será a primeira vez que a docente estará à frente da ECo: Ivana passou pela direção entre 2006 e 2013. “Minha primeira gestão foi no auge dos recursos, dos debates das cotas, da discussão sobre o Reuni, o programa de reestruturação das universidades públicas. Neste momento, não temos esse respaldo. Ocenário é de congelamento de custos”, afirmou. “Nossa gestão será na alegria e na crise”, brincou.

Suzy Santos, novata na direção, ressaltou também a diversidade da nova diretoria. “Eu venho do Sul, e Ivana, do Norte. É um encontro de culturas”. A docente falou sobre a necessidade de resistência da universidade. “A universidade pública está sofrendo um ataque brutal, justamente porque sempre foi espaço de multiplicidade de ideias e de resistência”, pontuou.

O reitor Roberto Leher, que participou da solenidade, reforçou o momento de dificuldade das universidades públicas. “Em todos os aspectos, temos ataques à autonomia universitária, como o exemplo do professor (Elisaldo) Carlini”, em referência ao docente da Unifesp que precisou prestar depoimento à polícia por sua pesquisa sobre drogas. “Estamos numa ofensiva para manter a autonomia e precisamos debater o que entendemos por democracia, cultura e artes”, concluiu.

Amaury Fernandes agradeceu à comunidade acadêmica por sua gestão, classificada como difícil pelo momento de crise. “Entrego a gestão para a Ivana com muita felicidade, com o sentimento de que tudo que prometemos nós cumprimos”, disse.

Lilia Guimarães Pougy, decana do CFCH, destacou o protagonismo da ECO na integração acadêmica da Praia Vermelha. “Vamos permanecer atuando para encontrar agendas comuns e identificar o que nos une para construir pautas coletivas”, afirmou.

ADICIONAR COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(*)

(*)