Silvana Sá

silvana@adufrj.org.br

Reconhecido internacionalmente, o cientista Ricardo Galvão foi exonerado da direção do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), na sexta-feira, dia 2. A demissão acontece depois de duas semanas de tensão entre a instituição e a presidência da República, em função da identificação do aumento do desmatamento na Amazônia. Jair Bolsonaro desacreditou os dados do Inpe, insinuando sensacionalismo. Segundo o instituto, houve aumento de 40% na perda da floresta em um ano. Galvão defendeu a credibilidade do monitoramento.

Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), lamenta que o governo brasileiro abra mão de um cientista tão qualificado e sério. “Galvão é reconhecido por sua idoneidade”, disse. Para ele, países que misturaram ciência com política ficaram prejudicados ao longo da história. “Perde-se credibilidade internacional. Uma demissão assim pode indicar que as instituições não têm liberdade de expor seus dados de pesquisa. Dados não podem ser filtrados”, criticou.

ADICIONAR COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(*)

(*)