Os 40 anos da Adufrj em fotos

25/04/19 0

A história da Adufrj se confunde com a história da democracia brasileira. Mais que uma entidade preocupada com questões corporativas, a associação docente apresentou desde cedo um forte caráter político.
Uma das primeiras atividades da associação, fundada em 1979, foi cobrar do governo a reintegração dos docentes afastados da UFRJ pelos atos institucionais da ditadura. “Foi uma grande ousadia”, lembra o primeiro presidente da Adufrj, professor Luiz Pinguelli Rosa.
Ele conta que, enquanto presidente da Andes, entre 1982 e 1984, participou do comitê pelas Diretas Já ao lado de políticos e de representantes de outras organizações da sociedade civil, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI). “O movimento docente teve muita importância para uma universidade orgulhosa de si”, observa.
O professor Ericksson Almendra, presidente na gestão 1981/1983, frisa que a criação da Adufrj provocou uma maior integração entre unidades e centros da UFRJ: “Hoje pode parecer algo menor ou apolítico, mas esse processo começou com a entidade”, diz. “Era algo absolutamente inovador naquela ocasião um engenheiro sentar ao lado de um filósofo ou socióloga”, completa.
Ao longo de 40 anos, a Adufrj e o movimento docente colecionaram lutas e conquistas. Para Ericksson, uma das vitórias mais significativas do período foi a criação do regime de dedicação exclusiva: “O movimento pelo professor em tempo integral marcou a universidade”.
Confira, abaixo, algumas imagens da trajetória dos 40 anos de resistência da AdUFRJ.

Em ordem cronológica:
1979, ATA DE CRIAÇÃO DA AdUFRJ
– 1979 Auditório do CT: Homenagem aos professores afastados pela ditadura
Associação docente organizou solenidade para homenagear os professores afastados da UFRJ
por atos institucionais do regime militar. Todos receberam um título de sócio honorário da entidade
 1983 Escadaria da Câmara Municipal: Salários na mira
Docentes da UFRJ se unem aos demais servidores públicos federais em campanha salarial unificada e protestam contra os baixos salários na Cinelândia, no Centro do Rio. No primeiro plano da foto, aparecem os professores Joel Teodósio, Selene de Oliveira e Moacyr Jr., integrantes da terceira diretoria eleita para dirigir a Adufrj, de 1983 a 1985.
1984, Centro do Rio de Janeiro: Diretas Já!
Após participarem das mobilizações que derrubaram a ditadura, os professores da UFRJ atuaram nas
campanhas pelas eleições diretas para presidente da república e por mais verbas para a educação pública
– 1985, Centro de Tecnologia: Posse da diretoria
Integrantes da gestão anterior dividem a mesa com novos diretores. Alguns nomes: Joel Teodósio, Helio de Mattos Alves, Cinda Gonda, Moacyr Barreto, Aloisio da Costa, Tomaz Pinheiro, Fernando Amorim,
Selene Alves e o reitor Horácio Macedo
– 1986, Fundão: Assembleia geral
Mobilização nacional das universidades reivindica isonomia salarial e carreira unificada. Na primeira fileira, professor Alexandre Cardoso (à esquerda) e professor Horácio Macedo, primeiro reitor eleito da UFRJ
– 1989, Cidade Universitária, Fundão: Nova direção
Cerimônia de posse dos noves diretores da AdUFRJ. Da dir. para esq.: Henrique Longo, Cibeli Reynaud,
Roberto Leher, India Maria Borba, Filadelfo Cardoso Santos, Leticia Legay Vermelho, José Augusto Buarque
 1991 Largo de São Francisco de Paula: Aula na praça
Professores realizam aulas públicas como atividade de greve contra as medidas econômicas do governo de Fernando Collor de Mello. Protesto ocorreu em frente ao prédio do IFCS/IH, no centro do Rio
– 1996, Largo de São Francisco de Paula: Abraço de greve.
Corrente de professores envolve o prédio do IFCS em ato simbólico de defesa da universidade pública. No primeiro plano, da esquerda para a direita (de óculos), Ruth Barbosa, Henrique Longo, Roberto Leher e José Henrique Sanglard. Manifestação também protestou contra chacina de Eldorado dos Carajás, onde 19 sem-terra foram assassinados
– 1997, Centro do Rio de Janeiro: Educar é libertar
Professores e estudantes da UFRJ fazem homenagem a um dos maiores educadores brasileiros, o pernambucano Paulo Freire. O teólogo Leonardo Boff (ao centro) também participou do evento, na escadaria do IFCS
– 1998, Sala dos Conselhos: Não à intervenção na UFRJ!
Minerva chora durante ato de repúdio à nomeação do interventor José Henrique Villhena. O então deputado estadual Chico Alencar defende o respeito ao resultado da eleição para reitor e a nomeação do nome escolhido pela comunidade acadêmica, professor Aloísio Teixeira
– 1999, Clube Ginástico Português: Grande Baile
Festa de comemoração pelos 20 anos da AdUFRJ leva à pista de dança professoras e professores ao som da banda Cuba Libre
– 2001, Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro: Universidade na Praça
Ciranda com professores, técnicos e estudantes da UFRJ, UFF e UniRio encerra manifestação contra o governo Fernando Henrique. Movimento cobrava abertura de concursos pelo Regime Jurídico Único e protestava contra a falta de reajuste salarial nos últimos 7 anos, entre outros pontos
– 2002, auditório do NCE: Em defesa da autonomia universitária
Em reunião da Andifes realizada na UFRJ, Adufrj protesta contra a lei que submete as procuradorias das instituições à Advocacia-Geral da União e contra a proposta da própria Andifes de regulamentar a autonomia das universidades. Em primeiro plano, a professora Cleusa Santos
– 2004, Cidade Universitária, Fundão: Reunião de trabalho
Associação docente reúne pela primeira vez com a o reitor eleito, professor Aloisio Teixeira, e sua equipe. Na imagem, da esquerda para a direita, Sara Granemann, José Miguel Bendrao, Walcyr de Oliveira Barros, Janete Luzia Leite, o reitor Aloísio Teixeira e sua equipe
– 2005, Praia Vermelha: Posse da diretoria
Solenidade no Salão Pedro Calmon teve na mesa os professores Raphael de Haro, José Simões, Vera Salim e estudantes
– 2007, Cidade Universitária, Fundão: Candidato único
Diretoria da AdUFRJ se encontra com único candidato à (re)eleição para a reitoria da UFRJ. Na imagem, professores Vera Salim, reitor Aloisio Teixeira, Ricardo Kubrusly e José Simões
 2008, Praia Vermelha: Fundações em debate
Desembargadora Salete Maccalóz participa de debate promovido pela AdUFRJ sobre Fundações Universitárias
– 2010, campus da Praia Vermelha: Movimento pela retomada do Canecão.
Velha Guarda da Portela encerrou ato-show realizado pela AdUFRJ e centros acadêmicos. Objetivo foi apoiar UFRJ na recuperação do terreno ocupado irregularmente pela casa de espetáculos, além de transformá-la em um espaço cultural público
– 2013, Largo de São Francisco: Jornadas de junho
Professores, técnicos e estudantes protestam contra repressão nas manifestações de rua. Na imagem, da esquerda para a direita, Tadeu Lemos (DCE Mário Prata), Francisco de Assis (Sintufrj), professor Marco Aurélio Santana (diretor do IFCS) e Cláudio Ribeiro (AdUFRJ)
 2012, Centro do Rio: Por melhores condições de trabalho
Movimento docente parou as universidades por reestruturação da carreira e melhores condições de trabalho. Criatividade, que estampou camisas dos docentes, foi uma das marcas da mobilização na UFRJ
– 2015, Novas formas de luta
Professores Carlos Frederico Leão Rocha e Tatiana Roque assumem a diretoria da AdUFRJ com promessa de renovar as formas de luta
– 2016, Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro: Praça do Conhecimento
Atividade da AdUFRJ contra a PEC do Teto dos Gastos dialoga com a população sobre a importância de investimentos em Educação e C&T
– 2017, Brasília: Combate aos cortes na Ciência e Educação
AdUFRJ liderou movimento contra PEC dos Gastos e mostrou grave redução do orçamento das universidades e de Ciência e Tecnologia
 2018, Salão Pedro Calmon
Atual diretoria: da esq. para a dir., os professores Fernando Duda, Ligia Bahia, Eduardo Raupp, Maria Lúcia Werneck, Maria Paula, Tatiana Sampaio e Felipe Rosa
 2019, Cidade Universitária, Fundão: Eles são os primeiros
Virou outdoor a foto coletiva dos estudantes que são os primeiros da família a estudar em uma universidade pública. Ação da Campanha #UFRJSEMPRE, promovida pela AdUFRJ