facebook 19
twitter 19
andes3

O dia 27 de julho de 2020 entrou para a história da AdUFRJ. Nesta data, por força da pandemia, ocorreu a primeira Assembleia Geral virtual dos professores da universidade. A reunião, que chegou a contar com 125 docentes, aprovou a delegação ao Conselho Nacional de Associações Docentes (Conad) do Andes, de forma unânime.
O Conad, que aconteceu nos dias 30 e 31 de julho, discutiu a prorrogação do mandato da diretoria do Andes. O processo eleitoral, marcado para este ano, foi suspenso em função da crise de saúde pública.
A delegação da AdUFRJ foi eleita com o compromisso de votar a resolução proposta pela direção nacional, que estende o mandato dos atuais dirigentes por até 90 dias, com possibilidade de ampliação por até mais 90 dias. “Mesmo sendo oposição à atual diretoria do Andes, a diretoria da AdUFRJ entende que o momento é de formar uma unidade poderosa contra o governo Bolsonaro. Precisamos caminhar juntos”, destacou a presidente da AdUFRJ, professora Eleonora Ziller. “Considero o resultado muito positivo. A votação unânime indica que temos um entendimento entre os professores de que esse deve ser um caminho a ser seguido”, completou.
Eleonora (como delegada, com direito a voz e voto) e os professores Luis Acosta e Marinalva Oliveira (como observadores, com direito a voz) foram os representantes da AdUFRJ ao evento sindical. Se algum dos observadores não pudesse mais participar das atividades, seria substituído pela professora Janete Luzia Leite.

DEBATE
Durante o debate da assembleia sobre a conjuntura, o diretor da AdUFRJ Josué Medeiros destacou que o governo continua perigoso, apesar da mudança de comportamento do presidente, agora mais contido. Mas alguns fatos recentes também dão esperança aos setores progressistas, como o surgimento dos movimentos antifascistas entre as torcidas de futebol, as paralisações dos entregadores de aplicativos e a aprovação do novo Fundeb: “Se confirmado no Senado, o primeiro direito que a gente conquista desde o golpe de 2016 veio da Educação. Temos que focar bastante nessa vitória”, afirmou.
Professora do Colégio de Aplicação, Cristina Miranda tratou do desafio da educação na pandemia. Chamou atenção para o que está sendo feito no site do CAp e convidou os docentes do ensino superior a pensar outras formas de vínculo com os alunos. “Que não sejam as que as grandes corporações defendem e tanto precarizam nosso trabalho”, ressalvou.

INTÉRPRETES
A primeira assembleia virtual também contou com a participação de duas intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras). “Foi um primeiro teste para favorecer a participação dos professores surdos”, explicou Eleonora. A iniciativa será avaliada em futuras reuniões da seção sindical.

VOTAÇÃO
Como não se tratava de um ponto polêmico, a votação da delegação ocorreu por uma ferramenta de pesquisa do aplicativo Zoom. A diretoria estuda a melhor forma de deliberar nas próximas assembleias da AdUFRJ.

Topo