facebook 19
twitter 19
andes3
WEB menorcardhuHá uma UFRJ que não parou. São professores, técnicos e estudantes que não foram para casa e estão se arriscando em nome da ciência, do profissionalismo e da solidariedade. O núcleo dessa universidade que não dorme é o Hospital Clementino Fraga Filho.  “Criamos um Gabinete de Crise, composto por funcionários de todas as diversas áreas de atuação no HU, que realizam reuniões diárias para reavaliação e atualização das medidas tomadas”, explicou o diretor Marcos Freire. na tarde de terça-feira, 24. Na mesma tarde, o HU informou o primeiro caso de óbito sob suspeita de Covid-19.
Além do hospital, diferentes áreas do saber estão desenvolvendo pesquisas e materiais. A universidade criou uma força-tarefa que atua em variadas frentes: testagens para Covid-19; transporte para conduzir profissionais às unidades de saúde; confecção de máscaras, fabricação de álcool 70°, ampliação orçamentária e abertura de novos leitos de UTI para tratar contaminados pelo corona.  
E não para por aí. Parte da UFRJ também a iniciativa de produzir equipamentos que auxiliem as equipes de saúde a tratarem dos casos mais graves, como respiradores. O apelo foi feito pelo professor Jurandir Nadal, do Laboratório de Engenharia Pulmonar e Cardiovascular da Coppe. 
“Estamos estudando a viabilidade de desenvolver um modelo de ventilador mecânico de baixo custo e complexidade, que possa ser construído em massa, em pouco tempo e com os recursos disponíveis no mercado nacional, dadas as atuais dificuldades de importação”, explicou o professor em mensagem a um grupo de cientistas.
Outro enorme esforço é a abertura de novos leitos de CTI, voltados para o tratamento de doentes graves. O HU abriu seis leitos de CTI e 10 de internação, sendo três de isolamento total. E ainda depende de recursos do MEC e de outras frentes para abrir até cem novos leitos para coronavírus.
“Esta semana é decisiva. É quando a epidemia ganha velocidade. Ainda não há como saber quantas pessoas serão atingidas e nem o tamanho da nossa curva de contágio, então precisamos nos preparar para todos os cenários”, adverte o coodenador do Complexo Hospitalar, Leôncio Feitosa. Está em negociação a construção de 50 leitos com recursos doados por ex-alunos que hoje são gestores e empresários do ramo de saúde. 
A Fundação Coppetec abriu uma conta para que pessoas físicas e jurídicas realizem doações para o Complexo Hospitalar. A iniciativa pode ser a solução para a construção dos leitos doados pela iniciativa privada. Quem desejar mais informações sobre como colaborar pode enviar um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
Os profissionais de saúde estão sendo treinados para atuar na linha de frente.  Só na área assistencial do HU trabalham quase duas mil pessoas. A preocupação em mantê-los saudáveis é constante. Por isso, há projetos em execução de fabricação de máscaras com viseiras para os profissionais de saúde. Elas são criadas a partir de impressoras 3D em laboratórios da Coppe e da PUC-Rio.
O Laboratório de Virologia Molecular, no Centro de Ciências da Saúde, já realizou 260 testes nesses profissionais. Houve resultados positivos para coronavírus. As pessoas estão em isolamento domiciliar. “Por enquanto estamos fazendo a testagem molecular, de alta complexidade. Mas buscamos parceria com a Ficrouz para aquisição de testes rápidos também”, informa o professor Rodrigo Brindeiro, do GT Coronavírus da UFRJ e pesquisador do Laboratório.
Na corrida contra o tempo, pesquisadores do Instituto de Biologia e da Coppe estão desenvolvendo um novo teste, mais simples e barato, capaz de detectar anticorpos para o novo coronavírus. “Alguns tipos de anticorpos são detectáveis já uma semana após o contágio, enquanto outros levam quase duas semanas para serem produzidos e permanecem por muito tempo. A proposta é detectar os dois tipos”, explica a professora Leda Castilho, do Laboratório de Engenharia de Cultivos Celulares da Coppe, mostrando que, a despeito de todos os ataques sofridos ao longo dos últimos anos, a ciência nunca foi tão urgente, tão necessária, tão rápida e tão certeira. 
 
WEB menor p.4 011. Testagens rápidas
O Laboratório de Virologia Molecular, do Instituto de Biologia da UFRJ, realiza testes moleculares, de alta complexidade, em profissionais e alunos dos hospitais universitários. Já foram realizados 260 testes, com alguns resultados positivos. Pesquisadores da universidade negociam com a Fiocruz o envio de testes rápidos para ampliar a capacidade do laboratório. A Marinha e o Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels também pediram apoio da UFRJ para a realização de testes.
 
WEB menor p.4 022. Novos leitos de UTI
A previsão é abrir até cem leitos para tratamento da Covid-19. A universidade ainda depende de liberação de recursos do MEC. De forma imediata, tem condições de instalar seis leitos de CTI e 10 de internação – sendo três de isolamento total para pacientes mais graves. Outra linha de ação é a construção de 50 novos leitos com doações de ex-alunos (hoje empresários e gestores de saúde).

 
WEB menor p.4 033. Equipes e equipamentos
Equipamentos para profissionais e para pacientes estão sendo desenvolvidos na UFRJ. Em agradecimento à disponibilidade das equipes de enfermagem, a comunidade se mobiliza para fornecer os EPI. Já o professor Jurandir Nadal, do Laboratório de Engenharia Pulmonar e Cardiovascular da Coppe, desenvolve modelo de ventilador mecânico para pessoas com sintomas graves da Covid-19.
 

WEB menor p.4 044. Máscaras da Coppe
Projetadas pela UFRJ, as máscaras com viseira, para proteção dos profissionais que atuam na linha de frente do atendimento a casos de coronavírus, estão sendo confeccionadas em laboratórios da Coppe e da PUC-Rio. Impressoras 3D fazem o trabalho de literalmente tirar o projeto do papel. A primeira parte das máscaras foi finalizada na segunda-feira, 23.

 
WEB menor p.5 055. Mil litros de Álcool
Diferentes áreas do saber da UFRJ se uniram para a fabricação de álcool 70º para os hospitais da universidade. A iniciativa é do Instituto de Química, da Coppe e da Escola de Química. Em apenas três dias foram fabricados mil litros do produto. A meta é ampliar a produção para 3 mil litros por dia. Em breve, começa a fabricação de álcool em gel e glicerinado, com a cooperação da Faculdade de Farmácia.

 
WEB menor p.5 066. Ônibus para equipes da saúde
A UFRJ oferece transporte gratuito para os profissionais que atuam em cinco de seus hospitais: HU, Maternidade-Escola, e os institutos de Ginecologia, Psiquiatria e Neurologia. A ideia é minimizar a exposição desses trabalhadores ao coronavírus e manter os serviços de saúde funcionando. Veja a relação de horários e locais de embarque:https://bit.ly/2xg1tg6.
 

WEB menor p.5 077. Treinamento de residentes
Residentes do Hospital Universitário estão sendo treinados para atender os casos suspeitos de coronavírus que chegarem à unidade de saúde. Os protocolos são passados pela Coordenação de Controle de Infecção Hospitalar, com treinamentos itinerantes. Eles são organizados em grupos pequenos - dentro da própria rotina - para não submetê-los a aglomerações. Os treinamentos são realizados em parceria com a Coordenação de Educação Permanente, da Divisão de Enfermagem.
 
WEB menor p.5 088. Plantão administrativo
Apenas serviços considerados essenciais – como setor de pagamentos de servidores e contas a pagar, limpeza e motoristas – estão com plantões presenciais. Os demais serviços são realizados no esquema de home office. A alimentação nos bandejões foi suspensa por determinação dos governos estadual e municipal de fechamento dos restaurantes do Rio de Janeiro.
Topo