facebook 19
twitter 19
andes3

WEBIPPMGFoto: Fernando SouzaPapai Noel fascinou crianças e familiares de pacientes do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira (IPPMG). O hospital infantil da UFRJ celebrou a festa de Natal do projeto de extensão Alunos Contadores de Histórias. As crianças receberam presentes, tiraram fotos com o bom velhinho, ganharam balões e gorros. Os voluntários do projeto ganharam sorrisos, abraços e olhinhos brilhantes. A festa aconteceu dia 17.
“São muitas as razões para se emocionar”, resume a estudante Ester de Oliveira Borges, do curso de Design de Interiores. “Existe você antes dos Contadores e depois dos Contadores. Não dá para sair igual a gente entra”, diz.
Sami Ayad, doutorando de Engenharia Mecânica, concorda. “Quando vim para o projeto, percebi que ninguém tem um sofrimento maior do que a dor do outro”.
Uma das coordenadoras do projeto, a fisioterapeuta Regina Fonseca é fundadora do grupo. Iniciou sua atuação junto a uma organização não governamental há dez anos. Com a dificuldade de trazer voluntários para o fundão, a ONG deixou de atuar no IPPMG. “Daí surgiu a ideia de abrirmos inscrições para alunos da área de saúde da UFRJ”, conta. “Hoje, a cada semestre cerca de 1.400 estudantes se inscrevem para a nossa seleção, mas só temos 70 vagas”.
Por ser um projeto de extensão universitária, os alunos precisam cumprir uma carga horária mínima de 45 horas de contações de histórias. “Mas eles fazem muito mais do que isso. Nossos estudantes estão envolvidos em todas as etapas desde o planejamento de festas, até a seleção e treinamento dos novos voluntários”, explica Sonia Motta, médica do IPPMG e também coordenadora do projeto.
“Nosso foco inicial era oferecer conforto para as crianças atendidas no hospital. Humanizar o ambiente auxilia no tratamento”, relata. Ao longo do tempo, as coordenadoras assumiram uma nova tarefa: “Passamos a nos concentrar também na formação cidadã de alunos dos mais diversos cursos da universidade”, comemora.
As crianças aprovam os contadores. “Eu gostei do presente e gosto das historinhas que a tia conta pra mim”, diz a pequena Thamiris Amorim, de cinco anos.
O projeto abre vagas duas vezes ao ano. Podem se candidatar alunos de graduação e pós. A divulgação da seleção é feita nas redes sociais dos Contadores e nos meios oficiais da PR-5.

Topo